100% natural, a pensar na sua saúde

Para si, a experiência da Medicina Chinesa

DADOS PESSOAIS








DADOS PARA CONSULTA

É a sua primeira consulta nas Clínicas Pedro Choy?


* Campos de prenchimento obrigatório

A marcação da sua consulta carece de confirmação por parte da Clínica. Aguarde pelo nosso contacto.

Termos e condições | Políticas de Privacidade

Equilíbrio e cura - Medicina Chinesa

Saúde | Equilíbrio e Cura

 

Cuidados | Material descartável

As agulhas utilizadas nas sessões de acupuntura têm de, por regra, ser descartadas à primeira utilização, seguindo o processo dado ao material de tratamento médico. Este protocolo permite ao doente mais segurança no que diz respeito à exposição a doenças transmissíveis.

 

Medicina chinesa promete ajuda para todos os males

AdaptávelTécnicas permitem adaptar o tratamento ao problema específico de cada doente. 

Posiciona-se a agulha no local a tratar. Está dentro de um tubo de plástico e, com um leve toque, entra na pele. Depois, o especialista remove esse apoio e segura a agulha através do cabo de metal e enrolado em espiral. Aplica pressão, reposiciona-a até que chegue ao local certo. Este passo repete-se as vezes que forem necessárias, ao longo dos mais de três mil pontos de acupuntura espalhados pelo corpo. O objetivo é “repor o equilíbrio”.

“A medicina tradicional chinesa pode ser usada em qualquer problema de saúde, não há exceção. Agora, claro que haverá circunstâncias de maior eficácia ou de menor eficácia e doenças de maior probabilidade de sucesso e de menor probabilidade de sucesso”, explica ao CM Pedro Choy, especialista e presidente da Associação Portuguesa dos Profissionais de Acupuntura.

 

Existem mais de três mil pontos de acupuntura espalhados pelo corpo.

 

Tratamento feito com agulhas é conjugado com outras técnicas.

 

A medicina que chegou do Oriente não se faz, no entanto, apenas dos cuidados com as agulhas de metal, que chegam ao “trajeto de circulação de energias do corpo”. A fitoterapia, que trata através do potencial das ervas medicinais, e a Tui Na, uma técnica de massagem energética, completam o leque das especialidades mais utilizadas da medicina tradicional chinesa. “Qualquer uma destas três especialidades pode agir em qualquer problema de saúde. A razão de serem conjugadas é porque isso potencia a sua eficácia”, refere Pedro Choy, que define a prioridade destas técnicas: “Tratamos aquilo que causa dor para que o doente possa vir a deixar de ter dor para sempre. Saúde é equilíbrio.”

Como exemplo da eficácia deste tipo de terapias, o especialista refere um problema comum a muitos portugueses: a dor de cabeça. “A enxaqueca é um tipo de doença que curamos na esmagadora maioria dos casos”, afirma Pedro Choy.

 

Pormenores

365 pontos principais

Estão definidos 365 pontos principais para a acupuntura. No total, porém, são cerca de três mil, considerando os pontos secundários para os tratamentos. Após o diagnóstico, é traçado o tratamento adequado e o número de pontos a utilizar.

 

Um quinto de milímetro

As agulhas usadas na acupuntura têm de ser completamente feitas de metal, incluindo o cabo, para garantir a condução da energia. Têm uma espessura de 0,2 milímetros, ou seja, a quinta parte de um milímetro.

 

Tui Na completa cuidados

A massagem energética Tui Na atua não só nos músculos, tendões, ossos e articulações, mas também nos pontos de acupuntura. Tem assim influência no trajeto de circulação de energia e potencia os efeitos do tratamento com as agulhas.

 

"Tinha problemas até a atar os atacadores dos sapatos"

Artur Pereira, de 70 anos, não é um novato na acupunctura. Já tinha experimentado esta especialidade da medicina chinesa e, quando decidiu atacar os números da balança, tinha a certeza de que esta era a "última esperança".

O reformado, antigo piloto da TAP, começou os tratamentos para emagrecer em novembro de 2015 e na altura pesava 123 quilos. Já passou por 18 sessões de acupunctura e a balança cedeu 12 quilos. A meta são os 23. Uma mudança que já começa a surtir efeitos. "Sinto-me mais leve, com melhor humor e mais jovem", conta ao CM Artur Pereira.

"Decidi perder peso porque reconheci que estava a afetar a minha qualidade de vida. Por causa da minha barriga, tinha problemas até a atar os atacadores dos sapatos", confessa o reformado, de Lisboa.

Além da acupunctura, Artur Pereira faz sessões de massagem Tui Na, toma produtos de fitoterapia, à base de ervas chinesas, e cumpre uma dieta que lhe permite comer quantidades satisfatórias às refeições. Uma boa alternativa às "muitas dietas ioiô" que já experimentou. "O pior das dietas é a ansiedade de pensar que não vou suportar a fome. Já não sinto isso", conclui.

 

Pedro Choy - Especialista em Medicina Chinesa

"Diminui malefícios da quimio"

 

CM - Quais são os problemas de saúde que mais levam os portugueses a recorrer à medicina chinesa?

Pedro Choy - Um dos mais frequentes é o emagrecimento, a segunda mais frequente é a doença oncológica e a diminuição dos malefícios da quimio e a radioterapida e para tratar todas as doenças que causam dor, como o reumatismo e as enxaquecas. Depois, surgem as doenças alérgicas, como a asma e a rinite, e as doenças psicológicas, como a depressão e a ansiedade.

 

- Os tratamentos convencionais e chineses podem coexistir?

- Devem, sempre que possível, e o doente tem tudo a ganhar. Em muitas circunstâncias, as duas complementam-se.

 

 

Entrevista do jornal "Correio da Manhã" ao rosto da Acupunctura e Medicina Chinesa em Portugal, o Dr. Pedro Choy. Publicado a 20 de março de 2016.

Partilhar:

Artigos Relacionados:

Sem artigos relacionados

Voltar

Outras NOTÍCIAS

  • Enxaqueca - Semana Informativa

    A iniciativa Semana Informativa sobre o tema “Enxaqueca” decorre de 21 a 25 de novembro, nas Clínicas Pedro Choy. O...

    17 de novembro, 2016

  • "Agulhas Mágicas!"

    Artigo sobre o tratamento de acupuntura nas Clínicas Pedro Choy, pela Dra. Fernanda Barra, publicado na revista "Maria...

    11 de setembro, 2016

  • Diabetes segundo a Medicina Chinesa

    Na Diabetes, ou não há Insulina que permita a chegada da Glucose às células, ou, a que há, não consegue desempenhar in...

    25 de março, 2016

NEWSLETTER

Indique-nos o seu nome e email, e receba as nossas novidades em primeira mão.

SIGA-NOS

2ª a 6ª - 8h00-20h30
Sábado - 8h00-13h30
Domingo - Encerrado